Espaço mãe amiga

Acreditamos que a construção de boas relações humanas passa por algo que para nós é fundamental: a confiança. Partindo desta premissa, sempre procuramos estabelecer uma relação de proximidade com aquelas que representam papel de suma importância em nossas atividades: AS MÃES!

Ao longo desses vinte anos de trabalho recebemos, por meio do nosso Serviço de Atendimento ao Consumidor, milhares de contatos que contribuíram com sugestões, dúvidas e informações para que fôssemos aprimorando de forma contínua a qualidade de nossos produtos.

Mães, dedicamos a vocês este espaço, como um agradecimento da CCA Laticínios e também para que dividam conosco suas experiências com o uso do leite de cabra na alimentação de suas famílias!

Carla Falcão

Amamentar sempre foi um grande desejo meu, mas quando o Miguel nasceu, descobri que não era tão simples assim. Mesmo amamentando, meu pequeno chorava muito, não ganhava peso e não sabíamos o que fazer. Por indicação do pediatra, que é homeopata, foi sugerido o uso do Leite de Cabra em Pó da Caprilat. Fizemos um primeiro teste e o resultado foi muito bom, amamentava o Miguel e complementava com o Leite de Cabra, não tivemos problemas com refluxo e as cólicas passaram e nunca tivemos efeitos colaterais, que tanto se escuta com o uso das fórmulas.

Além disso, o ganho de peso dele se tornou normal. Atualmente, Miguel tem 8 meses e ama o leite de cabra, é muito saudável e esperto. Amamentei até o mês passado e leite de cabra está sempre fazendo sucesso aqui. Recomendo o leite de cabra como uma excelente opção. Se tiver um segundo filho, e for necessário, certamente o leite de cabra será novamente a nossa opção.

Consuelo
Salvador, BA

Sou Consuelo. Há cerca de 9 anos, nasceu a minha filha Beatriz, numa cesárea sem maiores complicações. Amamentei até o terceiro mês e parei, pois, tive que trabalhar. Durante um ano, usamos leite adequado à faixa etária dela. Quando ela completou um ano, mudamos para o leite de vaca. Quinze dias após o uso, a Beatriz apresentou diarreia. Experimentamos o leite de soja, mas não obtivemos sucesso, pois ela não aceitou o sabor. Passados quase dois meses, trocamos a pediatra que, após uma investigação, constatou alergia ao leite de vaca (não apresentado no exame de sangue) e sugeriu mudar para o leite de soja ou de cabra. Como tivemos uma experiência ruim com o leite de soja, adquirimos o leite em pó Caprilat e a adaptação foi imediata. Por algumas vezes tentamos gradativamente reintroduzir o leite de vaca, já que ela toma iogurte, come queijo e não apresenta problemas, mas não obtivemos sucesso. Repetimos o teste por quatro anos, até que estava convencida de que continuaria com o leite de cabra.

Estou muito satisfeita e Beatriz adora o leite. Ela tomava puro e há apenas dois anos introduzi o achocolatado. Assim como a mãe, ela adora leite e não passa um dia sequer sem. O funcionamento do intestino dela é perfeito e sempre costumo recomendar o leite de cabra para os filhos das minhas amigas.

Marli
Riqueza, SC

Meu filho Guylherme nasceu em 21/07/2008. Até seis meses de idade, ele se alimentou com leite materno. Foi quando precisei me ausentar para o trabalho, me impossibilitando de levá-lo comigo. Assim começou a luta em busca de leite: consultando a pediatra que me receitou leites que meu filho não aceitava. Fazendo exames contatou-se que ele tinha intolerância à lactose. Foi quando, conversando com outras mães que haviam passado por este problema e ,relembrando que minha mãe havia comprado uma cabra para poder alimentar uma menina de nossa família, recorri ao leite de cabra. Em nossa cidade não encontrava, buscava em uma cidade vizinha. Por meio de pesquisas, encontrei a CAPRILAT . Entrei em contato com eles e passei a adquirir o leite em pó de 200 g. O Guylherme, hoje com 7 anos, ainda toma leite de cabra e é um menino muito saudável.